Falamos com uma especialista e ela garante: Dança do ventre melhora a autoestima, emagrece e ajuda na sensualidade

Giselle Kenj

Giselle Kenj é especialista em dança egípcia e garante: Dança do ventre emagrece a ajuda na sensualidade

Já pensou em espantar esse friozinho de inverno fazendo dança do ventre? Pois é, tem muita gente que troca a academia pelo sofá e cobertor nessa estação, mas se manter em movimento é importante para a saúde física e mental.

Resolvemos investigar a dança do ventre, e para conhecer melhor e entender os principais benefícios dessa arte, conversamos com uma especialista no assunto: Giselle Kenj. Só para você ter uma ideia, ela conheceu a dança aos 6, e vive da dança há pelo menos 23 anos.

Aos 50 anos, ela explica que a dança emagrece, é boa não só para o corpo, mas também para a mente e para dar mais sensualidade. Giselle também explicou algumas vertentes da dança, e contou o que faz como atividade complementar para manter a boa forma.

Veja o papo na íntegra abaixo embaixo:

Cenapop: Se você tivesse que escolher um benefício principal da dança do ventre, qual seria?

Giselle Kenj: A autoestima.

Cenapop: A gente pesquisou um pouco antes dessa entrevista, e viu que você dança com cobras e outros acessórios. Isso é dança do ventre também?

GK: Sim, inclusive a dança com a serpente é uma dança sagrada. Podemos considerar uma dança ritualística egípcia.

Cenapop: A quanto tempo você faz isso? Fala um pouco sobre você…

Giselle Kenj em uma de suas apresentações - Foto: Arquivo Pessoal

Giselle Kenj em uma de suas apresentações – Foto: Arquivo Pessoal

GK: Vai fazer 23 anos que vivo da dança… da arte… do estudo do corpo em movimento. Descobri a dança do vente aos 6 anos de idade com minha família árabe. Desde então, faz parte da minha vida. Fiz biologia e canto erudito, mas vivo da arte e da dança desde 1992. Desenvolvi metodologias e didática a partir da minha trajetória. Minha dança e técnicas são minha filosofia de vida.

Com o conhecimento que adquiri na universidade, aprendi sobre o funcionamento do corpo humano e decidi mudar alguns hábitos em prol da saúde. Troquei o cigarro por exercícios, reeduquei a alimentação e comecei a cuidar mais da pele, principalmente do rosto, utilizando-me de algumas técnicas para retardar o envelhecimento. Para manter a boa forma, fiz aulas de ballet moderno, jazz, yoga, pilates, dança contemporânea, pole dance e chair dance.

Então me especializei mais a fundo nas vertentes da dança egípcia e que hoje fazem parte dos meus shows como: clássica, espada, serpente, solo de derbake, véus (único véu, véu duplo, sete véus e véu wings), candelabro, punhal, saidi (bastão/bengala), snujs (sagat), beduína e pandeiro.

Cenapop: Caramba. Isso cansa só de ler. É por tudo isso que você tem um corpo lindo aos 50? É só dança do ventre, ou tem algo mais?

GK: Meu corpo foi construído através da Dança do Ventre. Faz 4 anos que pratico a musculação como complemento do meu trabalho. Acho necessário. Qualquer pessoa depois dos 28 anos começa a perder massa muscular. Nós que dançamos então, nem se fala. Eu vivo num ritmo frenético de shows e somente tenho desgaste. Então, preciso fazer essa “manutenção da massa”. Também gosto de praticar o pole dance, arte que meu entretenimento. O Pole dance faz parte de minhas atividades há 3 anos. Estou sempre em movimento, rs.

Giselle Kenj vive da dança há 23 anos - Foto: Divulgação

Giselle Kenj vive da dança há 23 anos – Foto: Divulgação

Cenapop: É mito ou verdade que a dança do ventre é ótima para emagrecer? Tem que ter uma barriguinha, né?

GK: É verdade. A dança do ventre bem executada e direcionada ao fitness emagrece sim, e muito. Barriguinha, nem pensar, aí é mito, rs!

Cenapop: O que precisa para começar? Precisa ter esses trajes maravilhosos que você usa?

GK: Uma roupa de ginástica e um xale de dança. Os figurinos são apenas para as apresentações. Mas, acima de qualquer roupa, o que se deve ter para começar é força de vontade, pois como qualquer outra dança, não é fácil no começo, mas conforme vai aprendendo, é muito satisfatório, tanto para o corpo quanto para mente e sensualidade.

Cenapop: Você ensina (ou se apresenta) a dança do ventre? Como as pessoas podem ver (ou falar com) você?

GK: Eu dou aulas de dança do ventre e me apresento em shows fixos (com as modalidades da dança: Véus, Espada, Dança da Serpente e Candelabro), além de eventos. Quem quiser ter aulas comigo pode entrar em contato pelo Facebook.

Giselle Kenj

Facebook